Mitos sobre o Demônio: heróis e vilões

Existem alguns erros comuns quando falamos sobre o diabo. Essa figura é rodeada por suposições e foi enfeitada por uma aura de mistério no mínimo infundado. É claro que existem coisas ocultas. Não podemos compreender muitas coisas do plano espiritual, mas nem por isso devemos florear a figura do diabo com requintes de mistério que beiram às lendas medievais ou coisa assim. E, pra começar a falar sobre os mitos que envolvem o tinhoso, escolhi aquele que, a meu ver, é o mais absurdo de todos: O diabo disputa com Deus.

O diabo não corresponde ao oposto de Deus. Eles não são antagônicos como “herói” e “vilão”. Eles não são figuras opostamente correspondentes, pois isso implicaria em iguais níveis de força e poder. Eles não ficam se digladiando numa guerra épica e eterna na qual Deus simboliza “as forças do bem” e ele simboliza “as forças do mal”. Quando imaginamos o diabo como um oponente que peita o Senhor dos Exércitos, estamos dando muito ibope prá ele. Veja bem, o diabo não encara uma quebra de braço com Deus. Isso é ABSURDO!

Satanás é o Inimigo de nossas almas, ele quer nossas almas para si, ele deseja nos absorver, deseja que tudo, enfim, seja parte de sua natureza perversa e nojenta. Mas ele não tem a mesma força que Deus, ele não disputa com Jesus! Quem pensa que a cruz foi um momento em que o diabo triunfou, assistindo Jesus ser morto e abandonado pelo próprio Pai, está totalmente enganado. O diabo tentou fazer com que Cristo não fosse à cruz! Ele sabia – e sempre soube – que se Jesus fosse até a cruz, Ele estaria cumprindo a profecia dita no Éden: “Porei inimizade entre você e a mulher, entre a sua descendência e o descendente dela; este lhe ferirá a cabeça, e você lhe ferirá o calcanhar.” (Gênesis 3: 15). Cristo triunfou na cruz, pessoal! Na cruz, Ele tomou as amarras do pecado, os grilhões que nos mantinham presos e escravizados ao diabo e à morte, e encravou-os na cruz. Na sua morte, Jesus zombou de Satanás.

E nem precisamos ir até o novo testamento para comprovar a submissão de Satanás a Deus. Olha lá no primeiro capítulo do livro de Jó, a partir do versículo 6. Deus exalta a fidelidade e retidão do seu servo Jó, e aí Satanás replica: “Acaso não puseste uma cerca em volta dele e da sua família e de tudo o que ele possui? […] Mas estende a tua mão e fere tudo o que ele tem, e com certeza ele te amaldiçoará na tua face.” (vs. 10 e 11). Aí, Deus permite que as provações venham sobre Jó. Mas o próprio Deus limitou a ação de Satanás: “não toque nele”.  No capítulo 2 a historinha se repete. Dessa vez, Satanás fere Jó com doenças terríveis. Mais uma vez, Deus limita a ação do Diabo.

Sabemos o que Jó passou e como foi fiel em tudo. Como ouviu de Deus a resposta para suas dúvidas e questionamentos e como, por fim, declarou: “Sei que podes fazer todas as coisas; nenhum dos teus planos pode ser frustrado. Tu perguntaste: ‘quem é esse que obscurece o meu conselho sem conhecimento? ’. Certo é que falei de coisas que eu não entendia , coisas tão maravilhosas que eu não podia saber. (…) Meus ouvidos já tinham ouvido a teu respeito, mas agora os meus olhos te viram.” (Jó 42: 1-3 e 5). Jó sacou tudo! Deus permitiu que tudo aquilo acontecesse com ele apenas para que sua fé fosse comprovada e, depois exaltada. Deus devolveu a Jó em dobro tudo o que ele havia perdido. E não houve homem tão íntegro quanto ele na sua época. O diabo foi pisado mais uma vez. Ou vocês acham que, se ele tivesse realmente esse poder todo, ele teria que pedir a permissão de Deus antes de atormentar alguém?!

O diabo sabe como funcionamos. Seu trabalho é nos tentar se aproveitando do que temos dentro de nós mesmos. Sua alegria está em ver-nos nos afastando de Deus e de Seus propósitos. Sua satisfação é assistir nossa alma definhar sem percebermos, na medida em que nos distanciamos do Senhor. Seu objetivo é sugar-nos, absorver-nos para que sejamos parte dele, escravos dele. O diabo está vazio e precisa nos absorver para encher-se, ele quer gado para, depois, alimentar-se dele.

Mas Deus é maior, Seus pensamentos e planos são maiores e lindos! Deus nos liberta de nós mesmos, Deus tira de nós tudo o que pensamos pertencer a nós e esmaga nossa ilusão de autossuficiência! Mas apenas para, depois, devolver-nos toda a nossa personalidade, agora transformada e vivificada. Deus quer servos que, mais tarde, transforma em filhos. Nossas vontades são redirecionadas para Ele, pois Seu desejo é que possamos ser distintos dEle e, ainda assim, um com Ele. Ele não precisa e não quer nos absorver… Ele está cheio e transborda \o/ Quem é o diabo, senão um infeliz que é limitado e, por vezes, usado por Deus para cooperar para o bem dos Seus filhos? Acredite, ele sabe que é isso e odeia! Ele foi rebelde desde o princípio e quer nos rebelar contra o Senhor. Mas nenhuma de suas ações pode nos atingir sem que Deus permita, e nenhuma de suas setas inflamadas irá nos destruir, pois o Deus que permite a tempestade é o mesmo Deus que nos leva para o porto em segurança.

God bless ;*

2 respostas em “Mitos sobre o Demônio: heróis e vilões

  1. Boa Carol!!! Ótimo texto!
    Acho até que o diabo se sente valorizado quando é colocado como o rival que luta cara-a cara com Deus…
    E aí a “máxima” que diz que “o povo perece por falta de conhecimento” (Os 4.6) vem mostrar o quanto isso está presente em nossos dias… Triste não?!

    Fica com Deus. Paz.

Sinta-se a vontade para falar !

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s