Quando Deus refresca sua memória

Na sexta-feira passada, eu tive que sair de casa pela manhã para ir a uma consulta com o dentista. Durante a minha espera pelo ônibus, enquanto ouvia “Adonai”, de Heritage Singers, olhei para o lado e vi um rapaz trabalhando no piso de uma das casas. Ele usava uma marreta e um instrumento que parecia um prego enorme, de ferro. Ele encostava o prego no local que queria quebrar e batia-o com a marreta. Eu sei que o que eu vou falar não tem nada a ver com o rapaz que estava trabalhando ali, mas quando eu vi aquelas ferramentas, imediatamente lembrei dos soldados que pregaram Jesus à cruz. A cada batida, o corpo do rapaz era impulsionado para trás, devido à força que era necessária imprimir na marreta. Imagino a força que era necessária para pregar um membro a uma cruz de modo que não caísse. Eu não consegui parar de fitar o rapaz batendo contra o piso da casa. E eu não consegui parar de pensar na dor que Jesus deve ter passado, na agonia de ter seus nervos perfurados, seu corpo todo deve ter tremido de dor.

Mas o que me emocionou mais não foi aquilo. Quando subi no ônibus, apesar de a estar ouvindo música, o som das batidas da marreta simplesmente não largava minha mente. E, quando cheguei no terminal, começou a tocar “I tremble”, também do Heritage Singers. A canção fala do espanto ao percebermos o sacrifício que Cristo fez por nós quando ainda éramos pecadores e inimigos dEle. Fala do tremor de uma alma que, humilhada, coloca-se aos pés de Cristo e percebe o valor daquela cruz, o amor incondicional, o plano transcendente de Deus em salvá-la e o modo maravilhoso como Ele o fez. Conforme eu ouvia “I tremble” e o som das marteladas continuava a tocar em minha mente cada vez mais forte, meus pensamentos começaram a me esmagar. De repente me peguei chorando enquanto caminhava pelo terminal DIA. Uma sensação de pequenez, inutilidade, desmerecimento. Uma sensação de que uma mão poderosa estrangulava meu coração e confundia minha mente. Eu subi no segundo ônibus, o que me levaria ao consultório, ainda com o coração sangrando.

Não conseguia parar de escutar aquela música. Não conseguia afastar o som do martelo da mente. Não conseguia parar de me perguntar: Senhor, como Você pode se deixar esbofetear, cuspir, açoitar e crucificar por mim?! Eu sou ruim, muito ruim! Eu fui confrontada, mais uma vez, com a dura realidade da minha condição humana. Eu não merecia e continuo não merecendo o amor que meu Jesus tem por mim. Eu precisava e ainda preciso desesperadamente Dele, porque, sem Ele, não rola, colega. Eu não me movo, não canto, não penso, não sorrio, não suporto, não permaneço, não respiro sem Ele! Ele é a razão do meu respirar e é a misericórdia dEle que me mantém viva a cada manhã. Como disse uma amiga minha, “Eu não conheço ninguém que tenha chegado nem ao nível da sujeira da unha do polegar do pé de Jesus, se é que houve alguma sujeira nele!”.

Pense na pessoa que mais te magoou na vida. Pense no seu pior inimigo. Agora, me responda com sinceridade: Você morreria por essa pessoa? Duvido. Duvido meeesmo! Nós não somos capazes de amar – como Cristo amou – nem aos nossos amigos e familiares, que dirá nossos inimigos! E, vey, quando eu penso que Ele me amou quando eu ainda era sua inimiga, eu tremo! É um negócio que faz vocÊ tremer! O Rei, o Emanuel, o Autor da vida, o próprio Deus abandonou sua glória para se fazer humano e morrer! E por que eu? Por que você? Simplesmente porque, na Sua infinita sabedoria e no Seu perfeito querer, Ele quis.

Não podendo entender tanto amor assim, mas comovida e atingida por esse amor, eu só fechei os olhos e agradeci ao meu Jesus por esse amor que me sustenta e me mantém viva. Só agradeci pelo sacrifício que me tirou do lamaçal do pecado, que me deu vida nova, abundante e eterna. Só fechei meus olhos e deixei as lágrimas caírem. Mas meu coração já não sangrava. Ele pulsava de louvor, se elevava em adoração e, ao abrir os olhos, eu sorri, pois eu sabia que Ele estava ali comigo, me lembrando de que todo o mal que eu fiz não pode me afastar do amor Dele. E que Ele continuará me amando e, mesmo quando eu errar, Ele me perdoará e me ajudará a ser melhor. O meu Jesus estará comigo até o fim. E, com Ele, eu posso descansar na certeza de que repouso nas mãos mais poderosas do universo.

“Lord, I tremble
At the way I’m not deserving
of the Love You came to give
And Your blood that makes me worthy
Lord, I tremble…”
“Senhor, eu tremo
Com a forma que eu não sou merecedor
do amor que Você veio para dar
E teu sangue que me faz digna
Senhor, eu tremo…”

Uma resposta em “Quando Deus refresca sua memória

  1. Grandes são as obras do SENHOR, procuradas por todos os que nelas tomam prazer.
    Salmos 111:2
    E veio ter com ele grandes multidões, que traziam coxos, cegos, mudos, aleijados, e outros muitos, e os puseram aos pés de Jesus, e ele os sarou, De tal sorte, que a multidão se maravilhou vendo os mudos a falar, os aleijados sãos, os coxos a andar, e os cegos a ver; e glorificava o Deus de Israel.
    Mateus 15:30,31
    Deus supremo….creio em ti és dono da minha vida…..sou totalmente dependente de ti,pai celestial lhe entrego a vida de Grazy em tuas mãos….Que nós irmãos em Cristo Possamos estar unindo forças em nossa orações e pedindo a DEUS misericordia sobre essa vida!!!! Ti amo senhor…Ti amooooo

Sinta-se a vontade para falar !

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s