O ontem e a lembrança…

Existem coisas que só vamos entender com o tempo e com a iluminação dada por Deus, não é? Pois bem caros amigos, ontem aconteceu algo muito interessante comigo e eu gostaria de compartilhar com vocês.

No culto de oração de terça-feira, na minha igreja atual (Presbiteriana 13 de Maio), havia um rapaz sentado num banco atrás do que eu estava sentado. Notei que ele estava sem bíblia, ele parecia ser funcionário do colégio que fica em anexo a igreja, mas nunca eu o tinha visto antes ali no culto. Pois bem, enquanto o pastor falava e mostrava os textos da bíblia eu abria a minha bíblia e entregava para o rapaz. Quando o culto  estava pra  acabar, eu perguntei se ele tinha alguma bíblia em casa, e por mais incrível que pareça, alguém não ter uma bíblia em casa hoje em dia, ele não tinha. Então, dei a minha bíblia para ele.

No entanto, você deve se perguntar: “O que tem de mais nisso?”. Primeiro, deixa eu te explicar como aquela bíblia veio parar na minha mão. Mais ou menos a uns 7 anos  atrás, eu fui pela primeira vez numa igreja por conta própria. Logo no primeiro dia em que fui uma moça me abordou e me entregou uma bíblia. Como eu não tinha nenhuma, aceitei sem pensar nem repensar. Essa moça me disse que aquela bíblia era dela e já tinha muitos  anos que ela a tinha. Depois daquele dia, eu nunca mais vi aquela moça na igreja, nem mesmo sabia seu o nome. Mesmo procurando naquela velha bíblia eu não encontrava nada que me mostrasse qual o seu nome de verdade, pois haviam muitos nomes rabiscados na contracapa.

O tempo passou, as pessoas mudaram, eu cresci. Nessa época, eu cantava num quinteto de musica à capela, chamado Aliança. Numa quarta-feira, dia de ensaio, estávamos na igreja arrumando o som e cantando, Quando uma mulher chegou no portão. Ela estava chorando e  muito mal vestida. Roupas rasgadas e com a pele muito suja. Então  ela pediu pra entrar. Abrimos o portão, e ela falou que queria ouvir o que nós estávamos cantando. Ela sentou num dos bancos bem lá no fundo, me lembro como se fosse hoje. Chorando muito, ela pediu pra falar conosco. Então começou a contar o que havia acontecido.

Ela nos disse que morava naquele bairro e já havia frequentado aquela igreja por algum tempo, só que ela precisou viajar para o Rio de Janeiro, pra cuidar da avó dela. Ela disse  que enquanto morou lá, só fazia cuidar da sua vó e tomar conta de um dos seus netos. Então um dia a sua avó acabou falecendo. Dessa forma, ela ficou pra cuidar do neto da sua avó, Já que a mãe do menino, se eu não me engano, havia perdido a guarda da criança, por causa de maus tratos. Ela passou por dificuldades naquele lugar, e ainda havia um homem que cuidava da casa, e que por muitas vezes tentou abusa-la sexualmente. Por muitas vezes também ele conseguia. Então, ela acabou fugindo para cá de volta. Sem casa, sem comida, só com a roupa do corpo. A criança, ela não falou mais nada sobre. Também, foram  muitos outros  detalhes que não cabe falar aqui. Mas depois disso ela comentou que, no ultimo dia que visitou a igreja, ela havia deixado a única bíblia dela com alguém. Um “garotinho moreno e magrinho”, essas foram suas palavras.

Naquele momento, eu percebi com quem eu estava conversando. Eu não conseguia falar direito, não conseguia me mexer, apenas olhar no rosto dela e dizer “Sou eu”. No momento ela não entendeu, mas depois ela começou a sorrir e falou “Você cresceu bastante”. Amigos, naquele dia, eu senti algo que não consigo explicar e nem descrever muito bem. Mas, posso dizer, minha vida mudou! Ela nos contou que pretendia cometer suicídio naquele dia e que se não tivesse ouvido aquela música, com certeza o teria feito. Um trecho da música que cantávamos naquele instante dizia “Quanto anseio encontrar Jesus, quanto anelo ouvir a sua voz. Quando enfim a redenção chegar, com ternura ei de perguntar: “Que feridas são estas nas tuas mãos? Que feridas são estas nos pés?” “São feridas com que fui ferido, por te amar até o fim”.

Aquela mulher, que até então eu não sabia o nome, chama-se Marta e hoje em dia vive naquele mesmo bairro. Ela recebeu auxílio dos irmãos, uma casa alugada, comida e roupas. Até agora, pelo que sei, ela está bem e frequenta sua velha igreja, onde tudo começou. Agora dá pra entender? Aquela bíblia que eu carregava tinha e ainda tem uma grande história. Ao recebe-la aquele rapaz ficou muito surpreso e feliz. Foi até engraçado porque depois que eu a entreguei a ele, imediatamente ele começou a lê-la, parecia uma criança quando ganha um brinquedo novo! Foi ótimo ver aquilo e saber que naquela noite alguém conheceu a palavra de Deus. Meu desejo é revê-lo, naquela igreja, mas, se não acontecer, eu sei que existem coisas que não cabe a mim entender agora.

O plano que Deus tem para todos nós, muitas vezes nos é oculto, mas, que estejamos prontos e de corações abertos para sermos instrumentos nas mãos do nosso Pai celeste.

4 respostas em “O ontem e a lembrança…

  1. adorei rever essa história e saber que essa história ganhou mais outros fatos.. e no fim a palavra de Deus foi passada novamente.
    que benção.

  2. “Grande é o nosso Deus e as obras que Ele faz…” . Não é SIMPLESMENTE MARAVILHOSA e ASSOMBROSA a maneira como Deus cruza caminhos e histórias para que, no final, vidas sejam transformadas? Glória a Deus por isso!

Sinta-se a vontade para falar !

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s